Pastoral da Saúde faz peregrinação do Jubileu da Misericródia em fevereiro

Em 11 de fevereiro, Dia Mundial do Enfermo, os agentes da Pastoral da Saúde e os enfermos passarão pela porta santa da Catedral e participarão de missa presidida pelo Cardeal Scherer
Publicado em: 19/01/2016 - 14:15
Créditos: Redação

No dia 11 de fevereiro, memória de Nossa Senhora de Lourdes e Dia Mundial do Enfermo, acontece a peregrinação arquidiocesana da Pastoral da Saúde à Catedral Metropolitana de São Paulo por ocasião do Ano Santo da Misericórdia. Essa será a primeira das várias peregrinações arquidiocesanas que acontecerão ao longo deste jubileu extraordinário.

A programação começa às 14h com a passagem pela porta santa. Em seguida, às 14h30, a oração do terço e às 15h, missa presidida pelo arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer.

O assistente eclesiástico da Pastoral, Padre João Inácio Mildner, destaca que “Deus Pai, também hoje, nos convida para a grande festa da vida. Deseja que seus filhos e filhas vivam a experiência de uma intensa alegria, fruto de seu amor misericordioso pela humanidade. Mas todos fazemos experiência de que a vida não é só festa. Nossa vida é cercada de dores, sofrimentos e enfermidades. Então, quais os ensinamentos que podemos tirar deste texto evangélico?”.

A partir do tema da mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial do Enfermo - “Confiar em Jesus misericordioso, como Maria: Fazei o que Ele vos disser” – o Padre João ressalta que a vida é um grande dom de Deus e precisa ser acolhida e festejada. “Isto deve acontecer na família e na Comunidade-Igreja. É na comunidade que encontramos forças para vivermos a cada instante esse maravilhoso dom. E quando surgir a dor, o sofrimento e a enfermidade, precisamos ser como Maria, atentos às necessidades das pessoas. Não nos contentemos em ver as situações, mas sejamos agentes de transformação, promotores da vida e da esperança: visitando os enfermos em suas casas ou internados nos hospitais, de braços abertos e coração acolhedor, apontando para o Cristo Ressuscitado. Pois o sofrimento assumido com amor é fonte de vida; é ajudar educar a população na prevenção as enfermidades e lutar por uma saúde pública de qualidade, que é um direito de todos garantido pela Constituição”, prossegue o Sacerdote.

Na carta enviada a toda a Arquidiocese, a Pastoral da Saúde também sugere que se faça uma outra peregrinação dos enfermos nas igrejas com Porta Santa nas regiões episcopais no dia de São Camilo de Lelis, Padroeiro dos enfermos, dia 14 de julho.

Leia a íntegra da carta