O povo tem a sabedoria de Deus

07/06/2017 - 11:15

O Brasil está no meu coração, não só afetivamente, porque nele morei 40 anos, percorrendo-o de longo em largo, e anunciando como podia o Evangelho de Jesus, mas porque, como cidadão brasileiro, vivo com ânsia o presente e o futuro de milhões de pessoas que ainda sofrem nas mãos de uma “oligarquia” de ricos e poderosos, que não tem outra preocupação senão ser ricos e dominar os outros.

Escuto e participo das notícias como posso, e me convenço sempre mais de uma verdade: o povo é inteligente, tem sabedoria e sabe, nos momentos certos, se calar, esperar e, no momento certo, levantar a voz, gritar e derrubar, como diz o magnificat, “do trono os poderosos” e olhar “a humildade dos seus servos”. A sabedoria do povo não é artimanha e nem caminhos tortos e obscuros, que levam a sentar-se nas rodas dos malévolos e ladrões, mas que anda de cara descoberta e cabeça erguida, porque não tem medo de nada. Quais são os problemas hoje em dia dos povos, da maioria das nações do mundo? Não sou um analista político e nem econômico para detectar os problemas, mas, a olho nu, sem óculos e sem lupas, podemos ver algumas coisas por aí que andam mal.

1. O desejo de dominar. Os governantes querem só serem os maiores e construtores para eles mesmos de pirâmides, que nem a bomba atômica as derrube. Político não é quem começa pobre e termina o seu mandato rico. Dizem que o Servo de Deus Giorgio La Pira, que foi prefeito de Florença, na Itália, um homem de Deus, tinha as mãos e os bolsos “furados”. O que ganhava o dava aos pobres, ajudava a todo mundo e quando visitava os chefes de Estados ateus, lhes dava de presente uma imagem da Virgem Maria ou um Terço da Virgem Maria, ou uma Bíblia; assim ele evangelizava.
2. O que hoje empobrece o povo não é a pobreza, mas sim as estruturas indignas, pecaminosas e injustas, que geram sempre mais pobreza. O não gerar emprego, trabalho e salários que sejam justos.

O povo tem sabedoria e sabe que a um certo ponto é necessário uma atitude de “revolta passiva”, sem destruir, sem por fogo em caminhões e nem derrubar nada... uma revolta evangélica da paz...

O Brasil é um país que tem uma sabedoria pessoal interessante, capaz de derrubar “os poderosos dos seus tronos”. Não se pode aceitar nem a corrupção nem a compra e venda de cargo... As alianças devem ser positivas, para o bem do povo e não para conservação de políticos de museus, que ganham e não fazem nada. Se colocarmos o Evangelho no coração do povo, há a possibilidade de um futuro que será melhor. A Bíblia não é nociva para o desenvolvimento do povo. É benéfica. O que é nocivo para o desenvolvimento do povo são os políticos sem religião.

Frei Patrício Sciadini, OCD

As opiniões da seção “Fé e Cidadania” são de responsabilidade do autor e não refletem, necessariamente, os posicionamentos editoriais do O SÃO PAULO.

Fonte: Edição 3153, do Jornal O SÃO PAULO, de 31 de maio a 06 de junho de 2017, p. 5.